segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Um herói improvável




Por Michel Farias

Quarenta minutos do segundo tempo, dois a um Fluminense, a vitória parecia questão de tempo, parecia. Num clássico como esse tudo pode acontecer. Um argentino que saiu da reserva decidiu a partida em cinco minutos. Bottinelli.

Rafael Sóbis cabeceou sozinho dentro da área e inaugurou o marcador já  no segundo tempo, não demorou muito para o Flamengo empatar com Thiago Neves. Mais uma vez num cruzamento de Souza pela direita Lanzini de cabeça desempata o clássico aos 33 do segundo tempo. Parecia que a vitória estava em pleno domínio tricolor, mas aos 40 do segundo tempo entra em cena a estrela da partida, numa falta mal marcada o argentino colocou a bola no ângulo, bateu na trave e nas costas de Diego Cavalieri entrando para o fundo do gol. Aos 44 quando ninguém esperava mais nada, o argentino Bottinelli em dia de Messi desempatava com um chutaço de fora da área, 3 a 2 para os rubro-negros e colocava a torcida do Flamengo em delírio. Vale lembrar que o Flamengo jogou desfalcado de quatro titulares, por isso a vitória tão comemorada.

A arbitragem também foi destaque no Fla-Flu, Felipe Gomes da Silva foi o árbitro e alvo dos protestos dos jogadores e do técnico tricolor. De todos os lances polêmicos no meu entender o único erro do juiz foi ter marcado a falta que originou o primeiro gol de Bottinelli, os demais foram mais a dor da derrota do que qualquer outra coisa.

O tricolor carioca foi melhor em todo o jogo, mas quem disse que merecimento faz parte do futebol? Faltou ousadia e competência para o tricolor no primeiro tempo, mesmo assim o tricolor merecia uma sorte melhor.

Mas um clássico emocionante que foi decidido nos pés de um argentino, logo um hermano que já deu tantas alegrias ao Fluminense.

1 comentário:

Pablo Diego disse...

Olá amigo. Erros e acertos dos árbitros são constantes na vida de todos os clubes do mundo. Um dia é contra, ou e a favor. Mas creditar uma vitória na raça, na categoria de Botinelli, a erros do árbitro é exagero. O Flamengo sempre que vence um clássico é alvo de reclamações e choros de dor. O Brasileiro precisa saber perder também né. Abraços, vlw pelo coments no blog.